sexta-feira, 1 de junho de 2012

Cabelo Vermelho - Como cheguei ao mundo das ruivas.

Resolvi fazer uma série de posts sobre cabelos ruivos porque acho que tenho um pouco de conhecimento sobre o assunto. Meu cabelo não é virgem há bastante tempo. Se minha memória não falha eu coloquei química no cabelo lá nos anos 2000, na época com 13 anos.
Minha vontade de ser ruiva começou ainda na infância quando eu era fã de Spice Girls e mais ainda da Geri, a Ginger Spice. Eu viva pedindo pra minha mãe me levar num salão para deixar meu cabelo daquele jeito e a resposta era muito óbvia: "não, você é muito nova".
Musa inspiradora
Desde então eu coloquei criei uma meta de vida: ser ruiva. Minha primeira vez foi com tinta de supermercado (que eu nem lembro a marca). A parada não funcionou direito porque meu cabelo é castanho escuro mas ao sair no sol dava pra notar um reflexo vermelho e isso já era uma vitória. Depois eu entrei na onda do papel crepom. Quem (pelo menos na faixa dos 20 e poucos) nunca fez ou ouviu falar do método de ferver o papel crepom e depois passar a água com a tinta na cabeça? Pois é, isso fez muito mal pros meus fios. Eles ficaram sem brilho e duros que só. Aí minha mãe percebeu que não tinha jeito e me levou num salão para fazer umas mechas. Eu queria o cabelo todo, mas entre mechas e nada fiquei com a primeira opção. O cabeleireiro usou tonalizante, ou seja, meu vermelho foi embora muito rápido. Fora que o combo tinta de mercado + papel crepom + mechas não foi muito benéfico.

Cabelo com tinta de mercado
Mechas
Depois de algum tempo com "folga" de química

Fiquei um tempo sem passar nada para ver se a juba se recompunha e até que deu certo. Mas, em Julho de 2004, nas vésperas do meu aniversário, eu tive uma ideia genial: pedir dinheiro ao invés de presentes e com isso ir a um salão para ter cabelos de Geri. Tudo deu certo e dia 14 de Julho eu estava sentada na cadeira da Selma, num salão de bairro atrás de casa. Foi muita sorte, porque ela é quem cuida da minha cor até hoje e descobri que ela era especialista em coloração. Hoje em dia ela tem um salão na casa dela, em Vitória e cuida de cada cliente com muito carinho. Toda vez que eu estou por lá (hoje em dia moro no Rio) passo pelo menos 5 horas na cadeira dela, entre descoloração, tinta e hidratação.
Eu já tinha pesquisado e a cor que eu queria era é Deep Red da Jeans Color/Alfaparf e como não existia em Vitória eu pedi pela internet. Mãos a obra, a Selma descoloriu meu cabelo todo e aplicou a cor. Ela me avisou antes que a descoloração ia acabar com as minhas pontas e eu teria que cortar depois. Como eu já estava afim de um visual novo, topei. Saí do salão com a cor mais linda do planeta. Perdi as contas de quantas vezes fui parada na rua por pessoas que queriam saber como cheguei naquele tom. Até foto alguns pediam para tirar.

Foto no dia que eu pintei. Ai que saudade.


Na época eu tinha Fotolog (não sei se todo mundo aqui sabe, mas era uma rede social onde se compartilhavam foto, de onde surgiu a Marimoon) e meu cabelo virou um hit. Eu sai na revista capricho 2 vezes, e uma delas fui escolhida pelas leitoras uma das 5 meninas mais estilosas do país. Depois disso eu fui chamada para fazer propaganda de uma marca de sandálias no próprio fotolog, saí em revistas e jornais locais e me senti uma celebridade. Isso pra uma adolescente é bem legal. E serve para a gente ver a força que o cabelo tem na vida de uma mulher.
A fase passou, eu continuei estudando, me formei na escola, na faculdade e na pós graduação, trabalhei muito, mudei de cidade mas o cabelo sempre com a mesma cor. Nunca vou me esquecer do dia que, na faculdade de direito, um jurista me chamou para dizer que eu era muito competente mas com "aquele" cabelo nunca ia conseguir um estágio e muito menos um emprego. Fiquei muito chateada e ponderando se eu queria mudar para me adequar a um mercado que eu nem estava muito certa se era o que eu queria. Coloquei minha viola no saco e tranquei a faculdade de direito, diga-se de passagem, uma das melhores do país. Meus pais ficaram muito chateados na época porque não entenderam que não se tratava só da cor que eu ostentava no cabelo e sim de quem eu era e como gostaria de ser vista. Aproveitei a deixa e fui fazer o que eu sempre quis: fotografia. E ainda bem que isso aconteceu porque me encontrei e sou muito feliz fazendo o que eu faço sem ter que dar explicações ou provar que sou mais ou menos competente por ter um cabelo vermelhão.
Resumo da ópera: eu passei quase 9 anos com a mesma tinta/o mesmo tom (algumas vezes misturei com outras marcas), fui muito feliz, mas enjoei. Eu adoro mudar, mas até então só mudava o corte. Há um mês eu resolvi que queria um tom mais puxado pro laranja (na verdade já estou no meio do processo). Mas isso é assunto pra um outro post porque tem muito o que contar. Mas tá me dando uma pena abandonar minha marca registrada...

Algumas variações (e vergonha própria).

Agora vem a parte prática que muita gente me questiona sobre ter o cabelo vermelho:

1) Vermelho desbota demais. Se você não tem dinheiro para manter (ou não se importar em ter uma cor horrível de água de salsicha) e para cuidar dos fios entre uma tintura e outra nem comece. Nos primeiros meses a perda de pigmento é mais acelerada e o ideal é retocar (ou dar banho de brilho) pelo menos de 15 em 15 dias.

2) A tinta que fica de uma cor no meu cabelo não vai ficar igual no seu. A pigmentação depende do quão aberta está a cutícula capilar, da oleosidade, textura... Mesmo com descoloração o tom nunca fica idêntico.

3) Vermelhos combinam com pele morena sim (na minha opinião)! Tudo depende do tom que a pessoa escolhe. Assim como qualquer outra cor de cabelo.

4) Pense bem antes de investir nos vermelhos porque é uma cor que não sai fácil. Mesmo com decapagem, descoloração e macumba o vermelho fica. Tenho uma amiga que jogou preto no cabelo várias vezes e sempre desbota para um vermelho fechadão.

5) Sobre a Jeans Color, especificamente, é muito difícil precisar o tom que o cabelo vai ficar. As nuances variam entre vermelhão, rosa e as vezes até um magenta puxado pro roxo. Não sei se é só no meu cabelo, mas fica a dica. E só pega com descoloração. Em cabelos claros até dá uma corzinha mas some em uma semana.

6) Cabelos com tintura (principalmente descoloridos) não são compatíveis com outros tipos de química, portanto escolha entre a cor ou a progressiva com formol. Conheço pessoas que fazem os dois, mas é por conta e risco.

7) Hoje em dia, na falta da Selma, eu pinto em casa (se não der para ir a Vitória). Mas recomendo que, ao menos no começo, faça sua cor com um profissional porque a queda é a consequência mais dramática de uma química mal feita mas antes dela acontece cabelo manchado, quebrado, elástico...

Bom, por ora, acho que é isso. Se alguém tiver alguma dúvida pode mandar aqui nos comentários ou no twitter (me segue lá, @cicybretz). E fiquem de olho que a série sobre cabelos continua...

See ya!

Comente com o Facebook:

9 comentários:

  1. Eu sou ruiva natural e, desde criança até os meus 16 anos, o meu maior sonho na vida era pintar o cabelo de preto.

    Ser A RUIVA da escola não é nada fácil. Sofri mais bulling do que todas as crianças gordas, as que usavam aparelho e as que usavam óculos juntas. Me chamavam de Fanta, cenoura, foguinho.... uma vez um garoto até jogou água na minha cabeça na hora do recreio, na frente de toda a escola, para "apagar o fogo do meu cabelo". Por mais que todos os adultos falassem que meu cabelo era lindo, obviamente só a opinião das crianças era o que importava. Eu queria muito ter um cabelo preto, simplesmente para parar de chamar tanta atenção e me misturar à multidão de cabelos "normais".

    Assim como a sua mãe, a minha também não deixava eu pintar meu cabelo. No máximo fiz umas luzes quando eu tinha uns 13 anos, na tentativa de ficar loira, mas a ruivisse continuava lá.

    Só comecei a curtir ser ruiva no meio da adolescência. Quando cheguei na faculdade, aí sim, valorizei ser como eu sou. Os meninos eram loucos para "pegarem" uma ruiva, inclusive os babacas que riam de mim na escola, e a mulherada morria de inveja.

    Há uns 7 anos eu mantenho o meu cabelo virgem, naturalmente cor de fogo e acho o máximo quando vejo meninas como você que curtem ser da turma dos vermelhos!

    Bom, é isso, só queria deixar o meu depoimento para você conhecer o outro lado da história, hahaha!

    Adoro o Fashion Killer,
    Beijos
    Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ruivas naturais são lindas demais, Marina... sorte sua!

      Excluir
  2. Eu já tentei ser ruiva, usei tonalizante para não danificar os fios mas me irritava o fato de a cor desbotar rápido e ficar laranja. Há um tempinho penso em pintar da cor da Julia Petit, mas sinceramente acho que não tenho paciência para ficar cuidando tanto do meu cabelo... é mais fácil deixar natural mesmo ;)

    Ainda assim, super apóio as ruivas em todos os aspectos!
    beijos

    ResponderExcluir
  3. linda , amei o post , sou ruiva a 1 ano , e já usei várias tintas .. entre elas Majicontrast ( que foi onde comecei com o tom que eu sempre quis >< ) , Alphaline 0.6 (que tem uma cor maravilhosa tambem) e atualmente uso tonalizantes (pimenta rosa - kert , red cult - kert ) e muitos me param na rua , ou me mandam e-mail e perguntam em redes sociais a cor que uso , RS . Meu cabelo já é descolorido , por isso tem uma cor intensa e super vibrante , me apaixonei perdidamente pelo tom da sua última foto de quadrinhos , a 8° a que tem uma estrela .. e gostaria MUITO que você me falasse a cor que usava nessa época , por favor linda , tem como me mandar no " www.ask.fm/AlineAmatuzzi " a cor que usou ? ficarei muito feliz . Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o tonalizante red cult da keraton é bom? eu pinto meu cabelo com a red booster da alfaparf, mas eu comprei esse tonalizante pra passar um pouco quando ele estiver desbotado, será que funciona?

      Excluir
    2. Carolina,

      Eu uso o Keraton banho de brilho (Kert Profissional) e amo. Como é tonalizante ele desbota mais rápido que tinta, mas por outro lado não agride os fios. Eu tive uma experiência mal sucedida e tive que dar um tempo na tintura e estou usando ele desde junho. Só que dependendo do tom que você ter, tem que descolorir um pouco! :)

      Excluir
  4. O Keraton Banho de Brilho pode ser uma boa pedida. Não agride os fios pois é um tonalizante sem amônia.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Pintei os meus cabelos com tinta mesmo (na cor da foto). Antes, estava um loiro mel (que eu detestava). Mas meus cabelos estão muito frágeis, e pensei em jogar um tonalizante (só para tirar o desbotamento) para poder dar uma pausa entre uma tinta e outra.
    Qual que você me recomendaria: Jeans Color da Chili Red ou da Deep Red?
    Estou muito na dúvida.

    ResponderExcluir

Comente!