segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Qual a diferença #2

Nada como começar a semana aprendendo, né? Eu sou muito curiosa e adoro entender sobre as coisas que me interessam e por isso eu acabo lendo bastante. Acho importante pesquisar sobre algo antes de dar uma opinião seja para uma amiga ou seja para centenas de pessoas em uma rede social.
Por isso, hoje eu vou compartilhar com vocês uma pesquisa que fiz sobre veiculação de publicidade. Para quem não sabe, existe no Brasil um órgão somente para regulamentação publicitária: o Conar. No site vocês podem encontrar um código completo com seus anexos e eu aconselho a leitura até para conhecimento dos seus direitos enquanto consumidor.
O post de hoje vai ser voltado quase que exclusivamente para blogs de moda e estilo, mas as regras valem para qualquer veículo de comunicação. Eu vejo que muita gente ainda tem dúvidas na hora de diferenciar uma dica pessoal legítima de um jabá, por exemplo. Então, para acabar com as interrogações, vamos colocar os pingos nos 'is".

1) Jabá

O jabá é uma espécie de "relações públicas" da marca com a blogueira sem certeza de retorno. A empresa envia o produto para teste ou a convida para provar peças de uma nova coleção e a dona do blog não tem nenhuma obrigação de falar sobre isso em seu espaço. Se optar por expor sua opinião a blogueira deve colocar no post suas conclusões reais, inclusive mostrar os pontos negativos e se for o caso . Se houver obrigatoriedade de mostrar e falar bem sobre o produto (o que aconteceu no primeiro caso investigado pelo Conar) ou mostrar a nova coleção da uma marca que a convidou para a prova de roupas, ainda que a blogueira não receba o pagamento em dinheiro, o jabá vira publicidade e deve ser sinalizado como tal.


2) Publicidade/Publipost

O publipost é a forma mais correta e profissional (se executado corretamente) de fazer publicidade em blogs. A agência procura um responsável pelo site, apresenta um produto juntamente com o release e paga (em espécie, em produtos ou serviços) pela a divulgação do mesmo. Não necessariamente o que está escrito no post reflete a opinião da blogueira e por isso é importante (e obrigatória) a sinalização de publicidade de fácil identificação pelo leitor. Mesmo que a blogueira modifique o release original e coloque suas impressões pessoais, ou seja consumidora do produto mostrado na propaganda, a sinalização continua obrigatória. Se o publipost for ao ar sem a devida sinalização o texto vira "publicidade velada" que não só é anti-ético como também passível de punições.


3) Ação

A ação é também uma forma de publicidade onde a blogueira recebe para, além de publiposts, participar de algum evento como por exemplo desfiles, almoços, festas ou viagens. Geralmente é uma estratégia da agência responsável para estimular a blogueira a conhecer de perto o produto ofertado e assim imprimir credibilidade na divulgação. Como obrigatoriedade de mostrar o acontecimento em questão no blog mediante pagamento a ação também deve ser sinalizada como publicidade.


4) Publicidade espontânea/Dica

A publicidade espontânea ocorre quando a blogueira divulga (positiva ou negativamente) alguma marca ou um produto em seu espaço sem receber nada por isso. Por exemplo, eu compro uma bolsa ou vou a um restaurante (e pago minha conta) e depois faço um post aqui no blog dando minha opinião sobre. É a velha propaganda "boca a boca". Se eu tivesse ganhado a bolsa ou ido ao restaurante a convite do dono em troca de divulgação já não seria uma dica pessoal e sim um publipost. Se a blogueira sugere ou aceita fazer publicidade "disfarçada" de dica ela está infringindo o Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária e sendo anti ética.

Viram? Tudo é muito parecido e é preciso muita honestidade por parte dos contratantes e das blogueiras para que os leitores saibam exatamente o que estão lendo. É importante saber que não somente o dinheiro é considerado forma de pagamento. Podem ser oferecidos produtos, viagens, serviços ou qualquer outro benefício em troca de divulgação.
Eu separei também alguns artigos do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitárias que servem para propagandas veiculadas na internet:

Artigo 23
Os anúncios devem ser realizados de forma a não abusar da confiança do consumidor, não explorar sua falta de experiência ou de conhecimento e não se beneficiar da sua credulidade.

Artigo 28
O anúncio deve ser claramente distinguido como tal, seja qual for sua forma ou meio de veiculação.

Artigo 30
A peça jornalística sob forma de reportagem, artigo, nota, texto-legenda ou qualquer outra que se veicule mediante pagamento, deve ser apropriadamente identificada para que se distinga das matérias editoriais e não confunda o consumidor.

Então é isso. Blogueiras, sigam as regras e sejam honestas com suas leitoras! E leitora, fique atenta a possíveis publicidades em forma de dica de amiga, não se deixe enganar e denuncie!

PS: Gostaria de agradecer a dois amigos, profissionais da área de publicidade, que compartilharam conhecimento e me ajudaram a formular esse post:


Se alguém tiver algo a acrescentar é só usar os comentários que eu atualizo o post, se for o caso.

See ya!

Comente com o Facebook:

19 comentários:

  1. Não vou me identificar pq tenho um blog e não quero queimar meu filme hehehe...
    Então, meu blog no começo falava só sobre esmalte e cuidados com as mãos/pés e depois de uns 4 meses no ar começou a ter bastante acessos. Uma marca de esmaltes entrou em contato cmg por email oferecendo me enviar sempre os lançamentos e em troca eu "só" teria que dar uma opinião positiva sobre cada um. Eu não tinha experiência e acabei aceitando. Na terceira vez que eles me enviaram os esmaltes eu não gostei de quase nenhuma cor e por isso não fiz um post sobre. A acessoria começou a me mandar emails exigindo que eu fizesse o post e eu tentando explicar que não ia fazer porque não tinha gostado das cores. A pessoa que estava tratando comigo disse que eu tinha OBRIGAÇÃO de fazer o post porque apesar de não ter assinado um contrato eu tinha dado minha palavra que faria os posts em troca dos produtos e eles tinham toda a conversa salva. Moral da história: sem perceber eu vendi minha opinião por vidrinhos de esmalte que custam menos de 4 reais. Claro que depois do episódio eu disse que eles não precisavam me mandar mais nada. É uma pena porque é uma marca que eu gosto, uso mas não tem noção de como tratar um cliente/divulgador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há de se ter bastante cuidado ao negociar com qualquer marca/pessoa. Evidente que as grandes empresas escolhem profissionais que sabem vender a proposta exatamente como deve ser feito e assim encher os olhos dos alvos. Cabe a cada um saber o que é correto ou não. Que bom que você percebeu que estava sendo enrolada!

      Excluir
  2. Denunciar para que? Não dá e nada mesmo. E outra é bem dificil provar que uma dica de amiga na verdade é um publi a não ser que sejam várias burras ao mesmo tempo falando sobre a mesma coisa.
    Mas o post foi bem esclaredor. Bjo

    ResponderExcluir
  3. Fico impressionada como vocÊ "perde" seu tempo para pesquisar coisas interessantes para passar para a gente. Já li e aprendi muita coisa aqui no seu blog e fico feliz que tenham pessoas interessadas em compartilhar conhecimento!!!
    Quanto ao assunto do post o que eu acho é que a maioria das blogueiras não tem a menor noção que existem regras para publicidade em blogs. Uma pena.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. adorei!!!!!!!!

    adoro seu blog, todo dia to aqui!

    beijos e sucesso!

    ResponderExcluir
  5. Uma vez perguntei num post se era publipost ou não e quase levei um tiro.
    Uma garota foi para um hotel com tratamentos estéticos e postou fotos de shampoo e condicionador da marca que as convidou numa parceria.
    Disse que foi convidada para ficar no hotel e que postou a marca porque quis.A pessoa ( ou pessoas) ficaram no hotel e postaram fotos do produto e do tratamento no hotel como maravilhoso etc.Mas elas ganharam aquela estadia.Pra mim é pagamento.Mas basta elas falarem que é sua opinião que tá bom?
    Mt falcatrua demaisss.
    Gostaria de saber uma média do que essas garotas lucram com essas falcatruas.

    ResponderExcluir
  6. Menina se você continuar a "perder seu tempo" com coisas tão relevantes como essa só quem ganha é quem lê o seu blog. Parabéns! Conheci seu blog pela Shame, gosto muito do blog dela para rir e do seu para pensar. Vocês duas fazem muito bem o que os seus respectivos blogs propõem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse blog realmente faz bem o que propõe!
      Também conheci através da Shame, mas ultimamente tenho percebido que as intenções dela não são tão bacanas assim, pois ela tem atitudes que não condizem com aquilo que ela demonstra pensar.
      Já fiz críticas nenhum pouco ofensivas e que não foram aceitas, e eram limitadas ao conteúdo, a sua forma de exposição. E ainda já li ela dizendo que não publica comentários ofensivos nem a ela nem às blogueiras, ela disse isso para alguém que, da mesma forma como eu, não teve sua crítica aprovada. Engraçado que eu leio absurdos quanto às blogueiras, nem digo isso quanto ao que elas fazem de errado, mas a forma como muitos as descrevem, principalmente nas gongações.

      PS. Nem sei se você vai aprovar esse comentário, mas mesmo assim o fiz, pelo menos com o intuito que você não se perca com o tempo, pois realmente ganhamos com blogs assim!

      abs

      Excluir
  7. e se eu ganhar algo num concurso, e quiser agradecer a quem me deu, ao blog, ou até mesmo à marca, no Facebook e Twitter pode, mas no meu blog não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pode fazer o que quiser na verdade. :)
      Quando você ganha algo em concurso é diferente e você não tem obrigação de falar sobre isso. Logo, se falar vai ser um jabá e não um publipost.
      Na verdade quando as marcas oferecem produtos para sorteio o que elas querem é divulgação.

      Excluir
  8. Eu podia jurar que publipost e jabá eram a mesma coisa! :O
    Agora sem querer desmerecer a importância do texo tenho que falar: esse Breno é um gato! hehe

    beijos

    ResponderExcluir
  9. Muito bacana! Não sabia de todas essas regras e acredito que a maioria das blogueiras (principalmente adolescentes) também não sabe! Parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  10. Todas as blogayras de moda deveriam imprimir esse post e colocar num mural FICAADICA.

    ResponderExcluir

  11. é um tanto ofensivo dizer que jabá é uma espécie de relações públicas...procurem saber mais sobre essa profissão....Relacionamento com Blogueiros pode ser uma atividade que um profissional de RP pode fazer, mas jabá não é, de forma alguma, uma espécie de RP...e nem sempre o Relacionamento com Blogueiros está vinculado à entrega de presentes ou brindes - isso sim é a real denominação de jabá...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma espécie de relação pública da marca com a blogueira, não a única. Cada marca/agência desenvolve uma forma de manter essa relação mas muitas optam SIM por presentes. Não acho ofensivo e inclusive muitas marcas novas conseguiram crescer dessa forma.
      Ofensivo eu acho quando a marca/agência oferece algo como um produto para teste e exige da blogueira uma avaliação positiva como já foi descrito em algum comentário desse post.

      Excluir
    2. A M A I O R I A das marcas que aparecem em blogs famosos usam esse esquema: dão as roupas em troca de divulgação. Hoje mesmo a Thássia postou dizendo que recebeu uma CAIXA de roupas para tirar fotos e postar no blog. Todas as blogueiras grandes são jabazeiras e fazem publicidade da forma errada. Quem não viu a Boleto fazendo propaganda de cerveja de forma inadequada? Essas meninas se acham grandes empresárias mas não se dão ao trabalho de estudar um pouco.

      Excluir
  12. Oi, Cicy!

    Adorei o post, acho que faltava mesmo alguém colocar os pingos nos "is" sobre esse assunto que ainda causa tanta confusão. Eu sou relações públicas, trabalhei em agência de RP e tive a oportunidade de mediar ações entre os meus clientes (empresas) e alguns blogs.

    Tenho apenas uma ressalva:
    Nem sempre a "ação" é publicitária e envolve pagamento da empresa para o blog, assim como você afirmou. Existem também ações de relações públicas - o blog é convidado para participar de eventos, viagens, etc, mas NÃO TEM a obrigação de comentar a ação no blog e/ou elogiar a empresa que o convidou.
    Tanto é que as ações de RP são muito comuns também com jornalistas - eles recebem vários convites (principalmente de "press trips" para sairem da redação e conhecerem a fábrica da empresa, por exemplo), mas isso não quer dizer que o convite vai necessariamente virar uma pauta no veículo do jornalista convidado. É apenas uma forma de relacionamento, ou seja, de aproximar a empresa dos formadores de opinião (imprensa, blogs).

    Espero ter ajudado!
    Bjs,
    Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina, ajudou muito sim!
      Sobre os jornalistas eu sabia que existia esse tipo de ação mas com as blogueiras não! Mas quando a marca paga passagem, hospedagem e custos da viagem é um pagamento, não?
      Obrigada pelo esclarecimento.

      Excluir
    2. É muito delicado esse limite entre uma ação de RP - sem fins comerciais - e uma ação onde voce pode considerar que a hospedagem e os custos da viagem sejam um pagamento.

      Por exemplo: se eu convido um jornalista ou um blogueiro que escreve sobre turismo para conhecer o novo hotel do meu cliente, com todas as despesas pagas, é uma ação de RP - pois o meu objetivo é aproximar a imprensa do meu cliente, proporcionar a experimentação do novo produto (hotel) e SE o jornalista achar pertinente fazer uma pauta sobre isso, ótimo! Mas ele não tem compromisso nenhum com a empresa, ele é livre inclusive para dar impressões negativas sobre o produto se ele quiser.
      Toda vez que o jornalista é convidado para esse tipo de ação, cabe ao editor decidir se a viagem (ou evento, etc) realmente é coerente com os assuntos que o veiculo aborda. Se eles chegam à conclusão que se trata apenas de uma empresa querendo "agradar" o jornalista, sem nenhum outro propósito, eles não aceitam participar. Um jornalista que cobre a bolsa de valores, por exemplo, não vai (pelo menos não deveria) aceitar uma semana experimentando gratuitamente os serviços de um novo hotel.

      Com os blogs, o que eu vejo muito por aí, são blogueiros deslumbrados com qualquer convite e acabam aceitando tudo o que recebem - não existe a ponderação se aquela ação tem a ver com o blog ou não. O papel ético que o editor exerce na redação não existe na maioria dos blogs, principalmente nos de moda que são os mais procurados pelas assessorias ultimamente.

      Qual é o sentido de uma blogueira de moda ganhar um jantar num restaurante chique, por exemplo? O restauranete realmente quer a opinião da menina sobre a qualidade da comida ou quer só aparecer no blog dela?! Se o restaurante convidasse um jornalista de gastronomia não seria muito mais coerente?

      Excluir

Comente!