sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Roberto Cavalli para C&A

Eu nem ia fazer esse post porque o estilo que o Roberto Cavalli vende não tem nada a ver com meu. Mas, muitas meninas me pediram para falar sobre a coleção que ele desenvolveu para a C&A, que antes de ser lançada já estava envolvida numa polêmica de um tal vestido que custaria 800 reais.
Bom, ontem rolou uma pré venda da coleção em algumas lojas, e dia 5 de novembro ela vai estar disponível oficialmente em toda a rede. Eu já tinha recebido algumas fotos e um release da parceria mas não me interessei em checar as peças pessoalmente porque, como eu disse, não tem absolutamente nada a ver com o que eu visto. Além disso, eu fiquei assustada com a especulação dos preços. A C&A está apostando pesado em parcerias com marcas e estilistas renomados e eu percebo que a cada coleção lançada os preços sobem.
Como vocês queriam saber mais sobre, eu dei uma boa pesquisada no que aconteceu ontem e digo que toda a polêmica tinha fundamento: blusas de seda a 200 reais, vestidos curtos em média 400 reais, calças de tecido 350 reais, jeans 180 reais e bolsas na casa dos 250. O vestido de 800 reais existe, é um longo de seda com estampa tigrada. Os sapatos foram o que menos sofreram com da inflação e custam entre 150 e 190 reais. Podem me chamar de mão de vaca mas eu acho o preço bem absurdo, e não é só por se tratar de uma "fast-fashion". É uma questão de bom senso. Não sei se a C&A está tentando elitizar a marca, mas quando começaram a anunciar as primeiras parcerias, diziam que era para levar ao grande público a oportunidade de comprar roupas desenhadas por grandes designers. Vamos ser bem realistas? Quem tem 400 reais para gastar num vestidinho certamente não o fazer numa loja de departamentos.
Outra coisa bizarra foram as fotos promocionais. Escolheram a top Irina Shayk e encheram a bonita de photoshop. Não satisfeitos, divulgaram somente peças com animal print. Eu sei que o Roberto Cavalli é o rei da onça, mas não precisava afugentar as mais discretas. Nas araras é possível encontrar peças lisas em vermelho, rosa, preto e verde. Fica a dica para quem também ficou com dor de cabeça com o bombardeio de estampas.


Então, é isso. Quem fizer um estilo mais peruete e tiver um dinheiro para investir, vale a visita. Caso contrário, faça como eu e nem se dê ao trabalho de passar numa C&A.

See ya!

Comente com o Facebook:

4 comentários:

  1. Ridículo não começa a expressar. As lojas de departamento no Brasil estão esquecendo que as pessoas querem é comprar roupa. E se isso é ser acessível, amigo, acho que você tem que definir o que você quer dizer com acessibilidade, porque acredito que apenas 10% da população brasileira pode se dar a esse luxo e isso tem nada de acessível.

    ResponderExcluir
  2. Cicy querida, já foi-se o tempo que que lojas de departamentos eram baratos. Lembro que já uns 10 anos atrás era possível comprar um short jeans por 15 reais na C&A. Agora, o mesmo modelo custa 80. E a Renner, que era minha loja favorita e está vendendo blusinhas de malha para o dia dia por 60 reais? É o capitalismo dominando até o comércio classe "c e d".

    ResponderExcluir
  3. Eu até gosto de animal print, mas esse preço tá de sacanagem. Eu li que as peças são de seda pura e bla bla, mas eu prefiro comprar no ebay por exemplo. Lá tem peças de ótima qualidade por preços bem inferiores. A C&A perdeu a noção e o foco da parada.

    ResponderExcluir
  4. Nessa foto com vestido azul ela até está parecendo um desenho de tanto photoshop.

    ResponderExcluir

Comente!