terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Faixa Bônus - Lorde e sua maioridade musical

Em muitos países, pessoas de menoridade não podem dirigir, nem entrar em boates. Comprar cigarros ou bebidas alcoólicas? Nem pensar. Mas com 16 anos você talvez possa alcançar o topo da parada em rádios de diversos países, conseguir mais de 150 milhões de visualizações em um vídeo no Youtube e ganhar dois Grammys por Música do Ano e Melhor Performance Solo Pop. Ficou com invejinha? Isso é só um pouco da trajetória já fascinante de Lorde (Ella Yelich-O’Connor para os íntimos), uma adolescente neozelandesa que está preocupada em fazer música, e música boa.


Lorde, hoje com 17 anos, não é exatamente uma novidade - mas se você ainda não ouviu o trabalho da moça, fica aqui o convite. Talvez a jovem cantora seja a resposta que o mundo mainstream pop estava precisando. Um pequeno suspiro de esperança em uma época de Miley Cyrus, Justin Bieber, Katy Perry e companhia.
Royals, o hit da artista – você provavelmente já ouviu por aí - sintetiza bem o seu álbum de estreia, Pure Heroine. É um sentimento singelo contra a cultura extravagante cantada e idolatrada por tantos outros artistas. É um (indie) pop verdadeiro e inteligente, com letras um tanto sarcásticas. Se você pensar que tudo é obra de uma menina de, hoje, apenas 17 anos, a coisa fica ainda mais interessante.
Com versos repletos de contradições ácidas e propositais (“It's a new art form showing people how little we care”/ “É uma nova forma de arte mostrando às pessoas o quão pouco nos importamos”), Lorde é a prova de que ainda existe pop inteligente. Pode confiar: ela tem muito a falar e vale a pena escutá-la. Se o sucesso arrebatador da jovem irá perdurar, não há como saber. O mercado fonográfico é volátil e cruel, mas, não faz mal. Ela ainda tem tempo e talento de sobra.

Você ainda não conhece o trabalho dela? Então o F.K recomenda:
Álbum: Pure Heroine (2013)
Faixa: Tennis Court




Essa coluna é assinada por Thaysa B. Pizzolato

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Curti o post!! muito bem escrito e uma boa sugestão pra quem ainda não conhece o som dessa menina talentosa.

    ResponderExcluir
  2. Isso aí Cicy! Cultura e boa música nunca é demais :D

    ResponderExcluir

Comente!