quinta-feira, 20 de março de 2014

Faixa Bônus - Uma trilha sonora sem trapaça e repleta de sentimento

O Oscar 2014 passou e com ele alguns nomes ficaram consagrados - Gravity (Gravidade) foi o maior vencedor da premiação com sete estatuetas e seu diretor, Alfonso Cuarón, pode sentir o orgulho de ser o primeiro mexicano a ganhar um Oscar de Melhor Diretor. Outro filme bastante comentado, 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão) levou o prêmio de Melhor Filme – Brad Pitt e Steve McQueen devem estar comemorando até agora. Eu também estaria.
Em comparação com a premiação de 2013, os dedos que fizeram a seleção dos nominados ao Oscar estavam mais assertivos. Equivalente em qualidade com a grande safra de 1939, a última edição da premiação nos apresentou produções incríveis e atuações que não serão esquecidas por muito tempo: Matthew McConaughey e Jared Leto em Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas), Lupita Nyong’o e Michael Fassbender em 12 Years a Slave (12 anos de Escravidão), Cate Blanchett em Blue Jasmine e Leonardo Dicaprio - o injustiçado de Hollywood - em The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street).
Contrariando a Academia, minha predileção se distancia dos 12 anos de sofrimento contados por McQueen. Na extensa lista de indicados ao Oscar, minha preferência fica com o filme vencedor do prêmio de Melhor Roteiro Original: Her (Ela), por Spike Jonze. Poderia escrever diversos parágrafos me deleitando, dizendo como o longa sobre uma história de (des)amor é contado de uma forma singular, como Spike Jonze conseguiu captar aquilo que há de essencial nas relações humanas e como Joaquin Phoenix se tornou um dos meus atores favoritos. É uma narrativa incrível por diversas razões, mas vou me concentrar em algo especial que edifica ainda mais a qualidade de um grande filme – a trilha sonora.


Não é sempre que uma banda alternativa de Rock aceita o desafio de compor uma trilha sonora para um romance, mas ainda bem que as exceções acontecem. O grupo canadense Arcade Fire abraçou a causa e, junto com Owen Pallett – violinista e compositor – fizeram a belíssima trilha de Her. Fazendo jus ao filme, as músicas saem do lugar comum. Românticas, porém distantes do teor melodramático convencional do gênero, as canções apresentam nuances melancólicas graças aos arranjos densos. As guitarras distorcidas e sintetizadores aborrecidos fazem contraponto com o som quase seco do piano e a belíssima participação de Owen Pallett nos arranjos de violino. Em suma, trata-se de um score belíssimo, atmosférico e inconstante em sensações, porém exato em sua proposta: comover.
Fica aqui minha sugestão: escute a trilha sonora completa com um bom fone de ouvido e sinta a incrível história de Spike Jonze passar diante de seus olhos e ouvidos.

Você não conhece o belo trabalho dos canadenses Arcade Fire e Owen Pallett? Então o F.K recomenda:
Álbum: Her /Soundtrack (2013)
Faixa: Loneliness #03 - Night Talking



                                                                               Essa coluna é assinada por Thaysa B. Pizzolato

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente!